Padrasto do menino Erlon Gabriel é preso suspeito de cometer latrocínio

O crime teria ocorrido há cerca de dois anos, onde a vítima seria um motorista de aplicativo

Imagem Ilustrativa

MANAUS –  Na quarta-feira (12), o padrasto de apenas 17 anos do menino Erlon Gabriel, de 2 anos, que está desaparecido há sete dias, foi apreendido por suspeita de ter participado de um latrocínio em Manaus.

O crime teria ocorrido há cerca de dois anos, onde a vítima seria um motorista de aplicativo. Quando cometeu a ação criminosa, o acusado estava com 15 anos. De acordo com informações repassadas pela polícia, o menor e outros parceiros teriam executado o assalto que terminou em morte. O suspeito teve o mandado de busca e apreensão expedido, mas desde a época do crime, não foi mais encontrado.

De acordo com a delegada Joyce Coelho, com a divulgação do desaparecimento de Erlon e a necessidade do depoimento do menor e da esposa dele, de 33 anos, que é mãe da criança, foi possível identificá-lo e apreendê-lo. Além disso, no caso de Gabriel, o casal apresentou versões diferentes que devem ser confrontadas.