Homens invadem UTI de hospital e matam a tiros paciente internado

Caso ocorreu na última segunda-feira (2), no Hospital Municipal Ruth Cardoso em Balneário Camboriú, no Litoral Norte catarinense.

Foto: Luiz Carlos de Souza/NSC TV

SANTA CATARINA – Um homem que estava internado no Hospital Municipal Ruth Cardoso em Balneário Camboriú, no Litoral Norte catarinense, foi morto a tiros na madrugada desta segunda-feira (2) após homens armados invadirem a unidade. Ninguém foi preso.

A vítima, de 30 anos, estava na Unidade de Terapia Intensiva (UTI). De acordo com a Polícia Militar, o crime ocorreu por volta da 1h, quando dois suspeitos encapuzados entraram no hospital e atiraram duas vezes contra o paciente. Os tiros atingiram a região do tórax e do abdômen.

O homem estava internado desde o dia 22 de fevereiro, após sofrer uma tentativa de homicídio. Na ocasião, ele foi atingido por um tiro enquanto caminhava na Avenida do Estado, no bairro Nações, conforme informado pela PM. O suspeito não foi localizado.

De acordo com o tenente-coronel Alexandre Coelho, funcionárias do hospital relataram à polícia que ouviram um disparo enquanto trabalhavam. Um homem com um capuz teria mandado elas virarem de costas e, em seguida, elas teriam ouvido outro tiro.

Outra servidora que estava de plantão no momento do crime afirmou à PM que dois homens encapuzados entraram armados na UTI. Um deles teria se aproximado da maca onde o paciente estava e atirado duas vezes contra ele. Em seguida, os dois teriam fugido do local.

Uma porta lateral do acesso de emergência, localizada próxima a entrada da UTI, estava arrombada, segundo a PM. Não há câmeras de monitoramento interna ou externa no setor.

Em nota, a Secretaria de Saúde do município informou que a vítima morreu por volta das 8h desta segunda-feira. Conforme a pasta, a unidade conta com quatro vigias patrimoniais, mas não informou onde eles estavam no momento do crime.

Nenhum servidor público ou pessoas que estavam na unidade de saúde ficou ferido. A Guarda Municipal fez rondas no local, mas até as 9h, ninguém havia sido preso pelo crime. O caso está sendo investigado pela Polícia Civil.
Com informações do G1 Notícias.