Governo do Amazonas inicia mudanças na rede de saúde da capital com foco no cenário da Covid-19

Consultas nos Caics e Caimis foram interrompidas, e policlínicas suspenderam alguns serviços; Hospital Delphina Aziz passa a atender exclusivamente casos graves de coronavírus.

Fotos: Arquivo/Secom

MANAUS – Começaram a valer nesta segunda-feira (23) as mudanças no atendimento ambulatorial de algumas unidades da rede estadual de saúde, conforme anúncio feito pelo Governo do Amazonas no último fim de semana. A medida segue orientação do Ministério da Saúde para que sejam suspensos os serviços não essenciais neste momento de reunião de esforços para conter a disseminação do novo coronavírus (Covid-19).

Entre as unidades alcançadas pela determinação estão os Centros de Atenção Integral à Saúde da Criança (Caics) e os Centros de Atenção Integral à Melhor Idade (Caimis), que tiveram seus atendimentos suspensos temporariamente. As unidades oferecem consultas de rotina a crianças e idosos, que integram o grupo de risco para doenças respiratórias provocadas pelo novo coronavírus. Durante o período de suspensão, serão disponibilizados telefones de contato para a população ligar em caso de necessidade.

Enquanto as policlínicas da rede estadual tiveram alguns serviços interrompidos, o Hospital e Pronto-Socorro Delphina Aziz, na zona norte de Manaus, teve seu perfil de atendimento alterado, passando a atuar de forma exclusiva para o atendimento de pacientes graves suspeitos ou confirmados de Covid-19.

De acordo com a secretária executiva adjunta de Atenção Especializada da Capital, da Secretaria de Saúde (Susam), Dayana Mejia de Sousa, as medidas visam evitar a aglomeração de pessoas, especialmente as do grupo de risco.

“As mudanças que começam hoje são os fechamentos de Caics e Caimis, com as quais nós estamos preservando a permanência das pessoas em casa, reduzindo assim a aglomeração de pessoas nessas unidades. Considerando ainda que o Caimi é responsável pelo atendimento ao idoso, então nós estamos nesse momento preconizando a orientação do Ministério da Saúde, que é a suspensão dos atendimentos ambulatoriais”, explicou.

“As policlínicas também estão com seu serviço eletivo suspenso, mantendo apenas os serviços de continuidade necessária, como o acompanhamento dos pacientes hipertensos, diabéticos, que têm um atendimento contínuo, uma orientação contínua, a questão do pé diabético com curativos, pré-natal de alto risco, todas essas estratégias que não podem ser descontinuadas”, acrescentou a secretária executiva.

Segundo ela, as mudanças na rotina de atendimentos também buscam otimizar a atuação dos profissionais da saúde no combate à Covid-19 e na campanha de vacinação contra a Influenza.

“Hoje nós estamos com esse estudo de RH da rede, (com profissionais) que vieram de Caics e Caimis. Essas pessoas primeiramente ajudarão na vacinação aos idosos que começa amanhã, em razão da chuva hoje, a prefeitura já disponibilizou uma nota, então como trata-se de uma ação conjunta de prevenção, considerando grupo de risco, essa mão de obra especializada vai ajudar na vacinação aos idosos em ambiente domiciliar”, disse Dayana Mejia.

Delphina Aziz – Como medida preventiva, a Susam definiu que, a partir desta segunda-feira (23/03), o Hospital e Pronto-Socorro Delphina Aziz atuará exclusivamente como unidade hospitalar de retaguarda para os casos graves suspeitos/confirmados da doença.

Enquanto a medida for necessária, a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Campos Sales será a porta de entrada para casos de urgência e emergência que eram atendidos no Delphina Aziz, assim como as demais unidades de urgência e emergência da zona norte.

De acordo com Dayana Mejia, o Hospital Delphina Aziz conta atualmente com 50 leitos de UTI habilitados para o atendimento a casos de Covid-19, sendo 30 adultos e 20 pediátricos. Conforme a necessidade, essa capacidade poderá ser ampliada.

“O Delphina pode ser adaptado até 350 leitos, ou seja, nós já temos 50 leitos e vamos abrir outros mais até que chegue ao número de 300. Esses processos de aquisição de respiradores já estão acontecendo. Então, nós já estamos adquirindo os leitos completos de alta complexidade para que possamos adaptar o Hospital nesse quantitativo de 350 de unidade de terapia intensiva”, afirmou.
Com informações da assessoria