Em Manaus, polícia prende estelionatário que alugava o mesmo imóvel para várias pessoas

Conforme a Polícia Civil, o homem é investigado por outros golpes cometidos, envolvendo crediários e leilões de carros, na capital e no interior do Estado.

Foto: Divulgação/PC

MANAUS – A Polícia Civil do Amazonas, por meio do 19º Distrito Integrado de Polícia (DIP), prendeu Sávio Soares Roul, 24, suspeito de praticar crimes de estelionato. A prisão ocorreu na tarde de quinta-feira (27), após as investigações apontarem que o suspeito alugava um mesmo imóvel, em um condomínio localizado na rua Albânia, bairro Ponta Negra, zona Oeste, para inúmeras vítimas. O suspeito cobrava o aluguel nos valores de R$ 1,5 mil a R$ 2 mil. Sávio foi preso em via pública, próximo ao condomínio.

Flagrante
De acordo com o delegado, Guilherme Torres, as investigações iniciaram quando algumas vítimas procuraram o 19º DIP para formalizar a denúncia contra Sávio. “Após as denúncias, nossa equipe foi ao local. Fizemos campana e esperamos o momento correto, quando o Sávio recebeu o dinheiro e assinou o recibo, então efetuamos a prisão e o indivíduo confessou a autoria do crime”, explicou.

Segundo Torres, o crime tinha início quando Sávio anunciava um apartamento para alugar em um site de compra e vendas e, dessa forma, alugava o mesmo imóvel para diferentes interessados. Após as vítimas efetuarem os depósitos do valor combinado, o infrator deixava de manter contato com elas.

 “O imóvel utilizado por Sávio para o cometimento dos delitos pertence, na verdade, a outra pessoa que havia alugado o apartamento para o suspeito. No entanto, a proprietária desconhecia o esquema criminoso”, disse o delegado.

 Conforme a Polícia Civil, Sávio é investigado por outros golpes cometidos, envolvendo crediários e leilões de carros, na capital e no interior do Estado. O delegado ressaltou que o jovem agia com mais outros comparsas, cujas identidades estão sendo investigadas.

 “Ele atuava de várias formas. Uma delas era anunciar em um leilão falso, em que ele dizia ser funcionário da receita estadual e que ele conseguia veículos com desconto de 50%. A pessoa efetuava o pagamento e esse veículo nunca aparecia. O prejuízo das vítimas gira em torno de R$ 140 mil até agora”, afirmou Torres.
Com informações da assessoria